Carreto

Sinopse

Tinho conhece Stephanie. Uma amizade se inicia.


Tinho, a 12-year-old boy, provides small services for the community. His work tool is his inseparable wheelbarrow. One day, Tinho meets Stephanie. Wanting to thank her for a present she gives him, Tinho starts thinking of a plan.


Festivais

  1. 38º Festival de Cinema de Gramado (MELHOR FILME E MELHOR ROTEIRO)

  2. 10º Goiânia Mostra Curtas (MELHOR FILME)

Iguacine - 3º Festival da Cidade de Nova Iguaçu (MELHOR SOM)

  1. VI Seminário Internacional de Cinema da Bahia (MELHOR FILME BAIANO)

  2. 21º Festival Internacional de Curtas-Metragens de SP (Um dos dez melhores curtas eleitos pelo público)

  3. 3ª Entretodos - Mostra Direitos Humanos (MELHOR ROTEIRO)

  4. 3º Curta Jacaré (MELHOR CURTA - INCENTIVO À CULTURA)

  5. Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro - Curta Cinema 2010 (novembro/2010) (PRÊMIO ONDA CURTA, AQUISIÇÃO RTP - TV PORTUGAL)

  6. 8º FESTCINEAMAZÔNIA (MELHOR DIREÇÃO)

  7. 5º Percepções (MELHOR FILME)

  8. 17º Vitória Cine Vídeo (MELHOR FOTOGRAFIA)

  9. 3º Festival do Júri Popular - 2011 (MELHOR ATOR “REGINALDO DOS SANTOS” E MELHOR TRILHA SONORA “MATEUS DANTAS”)

  10. XV CINE PE - Festival do Audiovisual (Prêmio Centro Josué de Castro)

  11. 9º Curta Santos - Festival Santista de Curtas Metragens (MELHOR DIREÇÃO E MELHOR TRILHA SONORA “MATEUS DANTAS”)

  12. Festival de Cinema Guarnicê/2011 (PRÊMIO BNB - MELHOR CURTA 35MM)

  13. IV BAFF (MELHOR ATOR “REGINALDO DOS SANTOS”, MELHOR ATRIZ “STÉPHANIE DE JESUS”, MELHOR ROTEIRO E MENÇÃO HONROSA PELA ASSOCIAÇÃO BAIANA DE CINEMA)


  1. 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

• 13ª Festival de Cinema de Tiradentes

• 7º Festival de Cinema de Maringá

9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis

  1. VI Mosca - Mostra Audiovisual de Cambuquira

  2. 7º AMAZONAS FILM FESTIVAL

  3. III Janela Internacional de Cinema de Recife

  4. Arraial Cine Fest

• CINEME-SE 2010 (Mostra não-competitiva)

  1. 12º Fest. de Cinema Ambiental de Goiás (FICA Animado - Mostra não-competitiva)

  2. VI Mostra Cinema Conquista (Mostra não-competitiva)

  3. I Festival Nacional de Cinema de Petrópolis (Mostra não-competitiva)

  4. 2ª Santa Rosa Mostra Gramado (Mostra não-competitiva)

  5. Cine Capão (Mostra não-competitiva)

  6. 5ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul (Mostra não-competitiva)

  7. Cine Festival Inconfidentes (Mostra não-competitiva)

  8. 7ª Bienal da UNE (Mostra não-competitiva)

  9. 6º Festival de Atibaia Internacional do Audiovisual

  10. Palm Springs International ShortFest

  11. I Festival Internacional Lume de Cinema

  12. Mostra Brazilian Film In Chicago 2011

  13. 10 Festival Internacional de Cine Nueva Mirada (Argentina)

  14. VI  Festival Comunicurtas (PB)

  15. 4º Festival de Cinema de Triunfo (PE)

  16. 6º Festival de Cinema e Meio Ambiente de Guararema.

  17. 5º Festival CinePort - 2011

  18. CAPE WINELANDS FILM FESTIVAL - 2012



Projetos e exibições especiais

Circuito Cultural Cinema na Escola (SP)



TEXTOS PUBLICADOS SOBRE “CARRETO”


“Esse filme vindo da Bahia é um dos grandes exemplos de singeleza e alegria que surge de onde não se imagina poderá vir, a que vi no mundo dos curtas-metragens, ultimamente. Assisti-o numa sessão dominada por obras de jovens diretores, e o frescor emprestado a ele pela dupla que o confeccionou chegou a me causar surpresa. O fato de filmar um lugar miserável, com situações e pessoas que raramente encontrariam felicidade por seus problemas, levaria a crer que, sob a batuta de pessoas “ainda inexperientes”, algo mais choroso e intimista-reclamador poderia assomar a sala de projeção. Que nada. Preconceitos pra lá: e a constatação de que quando se tem domínio de onde se quer trafegar, quando se tem certezas em atitudes certas e contidas, trabalhos dignos brotarão.


A beleza no modo de observar o território (de onde, aos poucos, a beleza brota passando a dominar o ambiente), e, principalmente, a conclusão risonhamente escancarada do ato que será executado pelo pobre menino - que enxerga numa menina uma possível miséria maior do que a sua, surpreendendo-se por “não ser bem assim” -, são um achado tão raro em sua aparente simplicidade, que faz pensar seriamente em quanto o cinema pode ser bom, quando contido e bem concretizado.”


Por Cid Nader.

(http://www.cinequanon.art.br/gramado_detalhe.php?id=665&id_festival=99)



“Com um tom radicalmente diferente, mas ainda colocando o amor em primeira pessoa, está Carreto. Aqui, a ideia é caprichar na dramaturgia e em uma história que leve a um final impactante. São duas crianças de uma pequena cidade da Bahia. Uma anda e faz carretos com um carrinho de mão. A outra, senta no chão e pinta paisagens, mas não se mexe.


O amor e o afeto as aproxima. Ele empresta a ela o que tem. Ela retribui com o que pode. Bem aos poucos, a direção de Cláudio Marques e Marília Hugues dá conforto e ternura a Carreto. A ambiência é maravilhosa, a câmera escolhe as coisas certas para mostrar e ocultar. Os três atores falam a mesma língua. O carinho toma conta da narrativa. No final, entendemos perfeitamente porque o filme foi conduzido daquela maneira. Mais do que entendermos, sentimos.”


Heitor Augusto

http://cinema.cineclick.uol.com.br/noticia/carregar/titulo/tiradentes-2010-obra-prima-inspira-se-no-cinema-indie-americano/id/25278



“O afeto em Carreto vem por via da inocência infantil, revestida de uma bela dose de saber precoce. O “carreto” é um pequeno garoto, que carrega frutas e frutos como maneira de garantir seu sustento. Num bailado suave, a câmera de Carreto passeia com aquele menino e olha pelos olhos dele para uma menina que não pode andar devido a uma deficiência e é neta da senhora para a qual ele trabalha.

Talvez pela consciência de uma vida toda por viver e pelo anseio que a liberdade causa nesses que ainda não perderam a capacidade de sonhar, este menino tenta dar asas para as pernas inativas da pequena garota. Em silêncio, tenta consertar sua cadeira de rodas, já quebrada, já inutilizada.

Não há barreiras ali, naquela longínqua cidade da Bahia onde a infância ainda se permite sorrir. O garoto deixa seus frutos e, em um carinhoso gesto, carrega com ele a garota a gargalhar, em cima das únicas rodas que ele via como possibilidade de libertá-la da imobilidade: o seu carreto. Doce, sutil, como a brisa.”

por Ursula Rösele, Filmespolvo

http://www.filmespolvo.com.br/site/eventos/cobertura/902



“(...) Nada poderia estar mais distante deste clima do que o delicado curta baiano Carreto, de Marília Hughes e Claudio Marques, que focaliza, em sequências quase sem diálogos, a amizade que brota entre duas crianças – um garoto que faz carretos com um carrinho de mão e uma menina deficiente física. Filmado em Acupe (BA), distrito de Santo Amaro da Purificação, com elenco não-profissional, o filme foi intensamente aplaudido pela platéia do Cine Brasília.”

Neusa Barbosa, Cineweb

http://www.cineweb.com.br/index_textos.php?id_texto=2056



“Rodado na mesma comunidade de Acupe, Carreto é menos impressionante e impressionista, mas rico em sutilezas. O filme se lança numa construção minimalista de dois personagens centrais, um menino que usa um carrinho de mão para tirar o seu sustento, e outra criança, uma garota, que se limita a brincar no quintal de casa.

Quando o meio de trabalho do menino vira instrumento para o lúdico, firma-se uma amizade de sorrisos e ternura, muito bem emoldurada por uma trama de 12 minutos, que é sensível e rica em emoção.”

João Carlos Sampaio, A Tarde, 10/12/09

http://www.cineinsite.com.br/materia/materia.php?id_materia=9960

direção e roteiro | Cláudio Marques e Marília Hughes, fotografia | Nicolas Hallet, elenco | Ronaldo Batista dos Santos “Tinho”, Stéphanie Vitória Souza de Jesus e Edna Correia “Dona Santa”, som direto | Simone Dourado, argumento original e montagem | Marília Hughes,  produção executiva | Cláudio Marques - Brasil, 2009, 12 min

rua professor rômulo almeida, nº 8, acupe de brotas, 40320-290 – redacao@coisadecinema.com.br

contatocontato.html
textos e notíciascriticas/Arquivo.html
coisadecinema - filmesfilmes_ccinema_A_Infancia_de_Anastacia.html
iníciocriticas/criticas.html
quem somosquem_somos.html
criticas/Arquivo.html